0

DQV da Progep promove 2ª Oficina de Nutrição Infantil

A Divisão de Qualidade de Vida da Pró-reitoria de Gestão de Pessoas (Progep) promoveu entre os dias 18, 19 e 20 deste mês atividades de reeducação alimentar infantil aos dependentes de servidores da Unifap.  Por meio de conteúdos lúdicos e educativos, as crianças foram instruídas sobre distribuição dos alimentos na pirâmide alimentar infantil, valorização dos alimentos regionais; e socialização e alimentação saudável durante a 2ª Oficina de Nutrição Infantil.

A oficina foi ministrada pela nutricionista Franciane Nunes. Também houve uma dinâmica de integração com a psicóloga Camilla Filocreão. Doze crianças participaram do projeto. As crianças participaram de um piquenique ao final da oficina.

Fonte: Site da Unifap

0

Progep divulga o Plano Anual de Capacitação 2017

PLANO ANUAL DE CAPACITAÇÃO - 2017

A Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas, por meio da Divisão de Capacitação e Educação Profissional, divulgou o Plano Anual de Capacitação – PAC/UNIFAP – 2017, que é um dos instrumentos da Política de Desenvolvimento de Pessoas dos Servidores da Universidade Federal do Amapá.

O PAC/UNIFAP – 2017 está ancorado no Plano de Desenvolvimento Institucional – PDI/UNIFAP 2015 – 2019, na perspectiva Aprendizado e Crescimento e Objetivo Estratégico Qualificar e Capacitar os Servidores docentes e técnicos e apresenta-se como instrumento orientador das ações de capacitação e desenvolvimento para os servidores, no qual constam critérios e metodologias para o desenvolvimento das ações de capacitação.

Clique no link abaixo para ter acesso ao documento:

Plano Anual de Capacitação – PAC/UNIFAP – 2017

0

Está aberta a Etapa de REGISTRO da Nova Avaliação de Desempenho – 2017

Prezados Servidores,

Informamos que a etapa de REGISTRO da nova avaliação GDH-2017 está aberta no período de 11/07 a 10/08/2017, para o devido preenchimento dos formulários de avaliação por todos os servidores SEM função gerencial (autoavaliação, avaliação dos pares e da chefia imediata), bem como por todos os servidores COM função gerencial/gestores (autoavaliação, avaliação dos servidores da equipe, avaliação da chefia imediatamente superior e das chefias imediatamente subordinadas).

Ressaltamos que, conforme a Lei nº 11.091/2005, a Progressão por Mérito Profissional do servidor está condicionada a apresentação de resultado fixado em programa de avaliação de desempenho.

Todos os servidores que possuem Plano Individual de Trabalho estão APTOS à participar desta etapa, uma vez que algumas questões dos formulários estão associadas às atividades do referido plano.

Guia Simples para a realização da referida etapa

GDH_REGISTRO

Caminho para a etapa de registro

Registro - Nova Avaliação de Desempenho - GDH - 2017

Documento disponível:

0

Cronograma da Folha de Pagamento – Julho de 2017

Prezados(as) Servidores(as) Docentes e Técnicos, Aposentados e Pensionistas,

Já está disponível para a consulta da comunidade vinculada a Universidade Federal do Amapá  o Cronograma da Folha de Pagamento para o mês de JULHO DE 2017.

CRONOGRAMA DA FOLHA DE PAGAMENTO - JULHO DE 2017

Clique no link abaixo para ter acesso ao cronograma:

 

Mais informações

Divisão de Pagamento de Servidores Ativos

telefone(96) 4009-5193 emailfolhadepagamento@unifap.br

0

Aula Magna marca o início do Mestrado Profissional em Planejamento e Políticas Públicas

Aconteceu hoje (26), no Auditório do Centro Integrado e Pesquisa e Pós-Graduação (CIPP), a cerimônia de início das aulas do Mestrado Profissional em Planejamento e Políticas Públicas – Turma Unifap.

O evento contou com a Aula Magna da Profª Drª Helena Simões, que abordou o tema “A pós-graduação stricto sensu: características e expectativas”.

Confira as fotos do Evento:

0

Servidor com cônjuge, filho ou dependente com deficiência física possui direito a horário especial

O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão expediu o Ofício Circular nº 58/2017-MP ratificando que o Servidor(a) que possuir cônjuge, filho ou dependente com deficiência possui direito a horário especial sem compensação de horário.

No mesmo documento, o Ministério também elencou o que deve ser considerado na hora da avaliação da requisição feita pelo servidor(a) que estiver nessa condição:

a) A competência para realizar a avaliação é de junta oficial, que deverá aferir a condição de deficiente do cônjuge, filho ou dependente do servidor;

b) A avaliação deverá ser efetuada na forma das normas atualmente em vigor, quais Ofício Circular 58 (3220261) SEI 05210.000881/2017-63 / pg. 2 sejam: Decreto nº 3.298, de 1999, e Decreto nº 5.296, de 2004 (o instrumento de avaliação de que trata a chamada “Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência”, instituída pela Lei nº 13.146, de 2015, ainda não foi concluído pelos órgãos competentes, e seu prazo de conclusão expirará em janeiro de 2018);

c) Deverá ser avaliada a necessidade e a forma de acompanhamento por parte do servidor, levando em consideração a situação fática, as possibilidades de assistência à pessoa com deficiência, bem como o papel do servidor, além de outras questões que eventualmente devam ser consideradas para concluir pela concessão ou não do horário especial, a depender do caso concreto;

d) A junta oficial poderá valer-se de pareceres da equipe multiprofissional a fim de subsidiar sua decisão; e

e) A junta oficial, ao estipular a nova jornada do servidor, deverá atuar com razoabilidade, de modo a garantir o direito ao horário especial ao servidor, mas sem impedi-lo de desempenhar as atribuições de seu cargo efetivo.

Tenha acesso ao Ofício completo no link abaixo:

0

Por meio de ofício, MEC orienta Ifes sobre processos de redistribuição

O Ministério da Educação (MEC) enviou às Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes), no dia 28 de abril, ofício circular onde orienta sobre os processos de redistribuição. De acordo com o art. 37 da Lei nº 8.112 de 1990, a redistribuição é o deslocamento de cargo de provimento efetivo, ocupado ou vago no âmbito do quadro geral de pessoal, para outro órgão ou entidade de mesmo poder.

No entanto, é necessário atentar-se para algumas condições para que isso ocorra: deve haver interesse da administração central; equivalência de vencimentos; manutenção da essência das atribuições do cargo; vinculação entre graus de responsabilidade e complexidade das atividades; mesmo nível de escolaridade; especialidade ou habilitação profissional; e compatibilidade entre as atribuições do cargo e as finalidades institucionais do órgão ou entidade.

No documento, consta que “O interesse da administração, no que se refere à redistribuição, está pautado na concordância mútua da instituição de origem e de destino, nos termos da legislação vigente”.  No ofício, ainda é expresso o Acórdão nº 1308 do Tribunal de Contas da União (TCU), publicado no Diário Oficial da União em 28 de maio de 2014.

O texto do documento do TCU reitera o que preconiza a Lei 8.112 e esclarece que “o procedimento da ‘redistribuição por reciprocidade’ deve ser adotado em caráter excepcional, observados os requisitos da Lei 8.112, em especial o interesse da Administração…”. O ofício foi emitido no sentido de dar uniformidade e celeridade às análises e aos encaminhamentos dos processos de redistribuição por reciprocidade que tramitam pela Secretaria de Educação Superior (SESu).

Entre as exigências para dar andamento às análises está a manifestação formal, via ofício, dos dirigentes máximos das Instituições envolvidas nos processos, concordando com a redistribuição e justificando o interesse da administração no processo. Reitera mais uma vez no documento o caráter excepcional do procedimento.

FONTE: Assessoria Especial da Reitoria