Linhas de Pesquisa

 LINHAS DE PESQUISA DO CURSO

 

  • História Social do Trabalho

Esta linha tem como escopo as experiências dos trabalhadores, vividas em diferentes contextos econômicos, políticos, sociais e culturais. Nesse sentido, analisa temas como: relações de classe, movimentos sociais no campo e na cidade, trajetórias individuais (biografias), migrações, vivências familiares e afetivas, lazer e sociabilidades comunitárias e identidades de classe, gênero ou “raça”. Para tanto, coteja e analisa fontes variadas: cartas, jornais, censos, iconografias, entrevistas, processos judiciais, entre outras. Considera importante, também, as abordagens que superem as tradicionais dicotomias do discurso historiográfico, do tipo: “trabalho livre e escravo”, “rural e urbano”, “nacional e global”.

 

  • Política, instituições e Relações de Poder

Muitos estudos têm analisado as tensões entre os diferentes padrões de relação entre Estado, poder e sociedade na história regional, nacional e internacional. As substituições ou competições de padrões hegemônicos, e seus respectivos desafiantes diante da ordem estabelecida, ensejaram amplos debates historiográficos, com franco aporte teórico de áreas correlatas do conhecimento nas Humanidades, como a Ciência Política, a Teoria dos Partidos e dos Movimentos Sociais, bem como a Filosofia, a Economia, a Sociologia e a Antropologia, por exemplo. Indubitavelmente, consideramos que as Instituições, em função do seu caráter valorativo, estabilizador e modelar diante da sociedade, são objeto e recorrência de estudos teóricos ou narrativos, na medida em que acondicionam o comportamento de indivíduos ou grupos dentro de uma comunidade definida e, de forma relativa, na sua finalidade social, transcendendo as intenções e os indivíduos através da mediação ou opressão vis-à-vis a governança e suas regras. Alinha-se também essa linha à Nova História Política, que estuda o poder como campo de representação social e exercício de dominação/controle por diferentes tipos de autoridades (estatais e da sociedade civil), em seus diferentes níveis, desde aquele das relações internacionais aos micro poderes da vida cotidiana. Os projetos que integram a linha de pesquisa refletem, ainda, o debate entre a História Política e a História do Político, contemplando abordagens que privilegiam a Política no âmbito das instituições, bem como aquelas que se centram mais no Político, ou seja, nas dinâmicas sociais e culturais que permitem interpretar a ação política, e nos modelos, formas e pensamentos que constituem seus referenciais. Este eixo tem como propósito também discutir ou incentivar a discussão sobre as principais transformações políticas na Amazônia, mantendo atenção para as alterações na esfera estatal, local ou regional, urbi et orbi. Por exemplo o direito, a justiça, a guerra, a paz, a arte, a religião são exemplos de objetos de estudo importantes na medida em que permitem entender experiências históricas resultantes do exercício do poder político e social.

 

  • Ensino de História:

A recente ampliação dos objetos da pesquisa histórica lançou novos desafios aos jovens historiadores, incluindo nesse sentido a pesquisa relacionda ao ensino da história. Esta mudança qualitativa do conhecimento histórico exigiu a formulação de novas metodologias, inclusive para o ensino de história, haja vista  que na atual sociedade globalizada (sociedade da informação), o ensino de história é redimensionado.   Este eixo visa à familiarização do aluno com estas inovações, inserindo-o na experiência instigante das escolhas metodológicas para uma melhor atuação em sala de aula.

 

  • Etnicidade e representações:

 

Tendo em vista que a sociedade amazônica é claramente pluriétinica, estudar a etnicidade consiste, em inventariar o repertório das identidades  disponíveis e representações construídas em uma situação pluriétnica dada e descrever o campo de ação dessas identidades nas diversas situações de contato. A análise situacional da etnicidade liga-se ao estudo da produção e da utilização das marcas, por meio das quais os membros das sociedades pluriétnicas identificam-se e diferenciam-se, e ao estudo das escolhas táticas e dos estratagemas que acionam para se safarem do jogo das relações étnicas.

 

  • Educação, patrimônio, ambiente e identidade cultura:

Esta linha congrega discussões que buscam refletir as interfaces estabelecidas entre educação, patrimônio, ambiente e identidades nas diversas temporalidades e espacialidades, em especial na Amazônia. Concentram-se nessa linha, temáticas distintas relacionadas as memórias, as representações, as manifestações e as identidades dos patrimônios cultural, arqueológico e ambiental no contexto das práticas educativas e das narrativas históricas, a fim de contribuir com a abordagem e a inserção dos referidos temas no contexto escolar, mediadas pela Educação Patrimonial e pela Educação Ambiental, com foco na formação de professores. Conjugadas as temáticas pesquisadas são partilhados, re-elaborados e problematizados conceitos como:  Interdisciplinaridade, Transdisciplinaridade, Educação, História, Arqueologia, Ambiente, Antropologia, Etnologia, Etnografia, Identidade, Cultural, Memória, Documento, Pertencimento e Cultura Material.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*