Comércio vendeu mais material de informática e menos livros, diz IBGE

O volume de vendas do comércio varejista brasileiro aumentou 1,4% em julho na comparação com junho, segundo a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC). O dado foi divulgado nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e mostra que este é o segundo resultado positivo após a queda de 0,4% em maio. Já a receita nominal cresceu 1,7%, representando o quinto mês consecutivo de taxas positivas.

Na comparação com julho do ano passado, o volume de vendas apresentou expansão de 7,1%, e a receita nominal, de 10,3%. No acumulado dos sete meses do ano, as vendas cresceram 8,8% e, em 12 meses, 7,5%. Nas mesmas comparações, a receita nominal aumentou 11,8% e 11,3%, respectivamente.

A pesquisa mostra ainda que, entre as dez atividades, oito registraram variação positiva nas vendas na passagem de junho para julho, com destaque para equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (9,7%); seguidos por tecidos, vestuário e calçados (2,4%); combustíveis e lubrificantes (1,2%); material de construção (1%); hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,8%); móveis e eletrodomésticos (0,7%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (0,3%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (0,3%).

As quedas foram registradas nas atividades livros, jornais, revistas e papelaria (-0,7%) e veículos e motos, partes e peças (-8,9%).

Na comparação de julho de 2012 com o mesmo mês de 2011, todas as atividades pesquisadas apresentaram aumento no volume de vendas. Os crescimentos mais significativos foram verificados nas atividades veículos e motos, partes e peças (16,4%); móveis e eletrodomésticos (12,5%); equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (11,4%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria(11,3%).

Os resultados da pesquisa foram positivos em todos os estados na comparação com julho de 2011, com destaque para Roraima (28,8%), o Acre (17,6%), o Amapá (17,5%), Mato Grosso do Sul (15%) e o Maranhão (12,1%). Quanto à participação na composição da taxa do comércio varejista, destacaram-se São Paulo (8,5%), a Bahia (8,7%), Minas Gerais (7,2%), o Rio de Janeiro (4,4%) e o Paraná (7,1%).

 

http://odia.ig.com.br/

 

Suporte de informática terá desoneração da folha

O Ministério da Fazenda anunciou nesta quinta-feira, 13/9, a ampliação da lista de setores que podem optar pela substituição da contribuição sobre a folha de pagamento por uma alíquota de 1% ou 2% incidente sobre o faturamento. Entre os novos beneficiados está o suporte técnico de informática.

Por conta da regra da noventena – que exige 90 dias de prazo para medidas com impacto tributário – os 25 novos setores beneficiados poderão usufruir da medida a partir de dezembro deste ano. Alguns deles foram inseridos em emendas à MP 563, os demais serão objeto de uma nova Medida Provisória.

A decisão mira na manutenção dos empregos e no aumento do investimento, especialmente diante dos indicadores de que o crescimento do PIB este ano ficará próximo de 2%. Segundo o ministro Guido Mantega, haverá condicionantes para que as empresas sejam beneficiadas.

Em especial, essas condicionantes exigirão das empresas a não demissão de trabalhadores, aumento da formalização, maiores investimentos, aumento da produção e da produtividade e das exportações. A exemplo das desonerações já anunciadas, o Tesouro vai cobrir as perdas de arrecadação da Previdência.

Nas contas do governo, ao invés de pagarem R$ 21,5 bilhões de INSS, os 40 setores beneficiados desembolsarão R$ 8,74 bilhões sobre o faturamento apenas em 2013. No total, a estimativa é de que nos próximos quatro anos a renúncia fiscal chegue a R$ 60 bilhões.

Segundo Mantega, a medida aumentará a competitividade da indústria brasileira. “O mundo vive uma crise onde empresas lá fora estão reduzindo custo da mão de obra. Lá, estão diminuindo salários e benefícios dos trabalhadores. Aqui nada disso acontece”, afirmou.

http://convergenciadigital.uol.com.br

Navegar com Segurança

A internet é um ambiente democrático, dinâmico e sem fronteiras, que disponibiliza um verdadeiro universo de informações e possibilidades de comunicação ao alcance de um clique. Mas, assim como o “mundo real”, a internet não está livre de riscos.

Dessa forma, é necessário entender a dimensão pública desse espaço, acompanhar e orientar a utilização da internet pelas crianças e adolescentes, prevenindo a incidência de violações de direitos humanos e crimes como o abuso sexual on-line e a pornografia infantojuvenil na web.

Com o aumento significativo da presença de crianças e adolescentes na rede, todos nós precisamos estar atentos e ter alguns cuidados. Filtros e outros softwares de segurança podem ajudar, mas o acompanhamento presencial e o diálogo são as formas mais eficazes e, portanto, indispensáveis de proteção.

(1) Seja um pai/mãe antenado(a)

  • Pesquise, leia, aprenda mais sobre a internet, conheça como funciona e possibilidades de uso. Navegue sozinho e junto com seus filhos.
  • Limite o tempo de utilização da internet pelas crianças e adolescentes.
  • Saiba por quais sites eles navegam e que comunidades virtuais integram.
  • Peça para ler o que eles divulgam em seus blogs, comunidades e salas de bate-papo.
  • Instrua-os a não divulgar dados pessoais, como nome, endereço, telefone, fotografias, escola e endereço eletrônico (e-mail) em locais públicos da internet.
  • Mantenha o computador numa área comum da casa e com a tela visível.
  • Caso encontre algum material violento ou ofensivo durante a navegação, explique aos seus filhos o que pretende fazer sobre o fato.
  • Coloque-se sempre à disposição para ajudar caso eles se sintam em perigo, mesmo se não dominar a tecnologia.
  • Opte por programas que filtram e bloqueiam sites. Pesquise para encontrar um que se ajuste às regras previamente estabelecidas e acordadas com seus filhos.
  • Se surgirem dúvidas, verifique! Não ignore qualquer sensação de insegurança. Prevenir nunca é demais!
  • Os programas ajudam, mas nunca podem substituir o acompanhamento dos pais. Diálogo e confiança ainda são as melhores tecnologias de segurança!
  • Sempre que ver alguma coisa errada, denuncie por meio do site www.denuncie.org.br

(2) Seja uma escola consciente e atuante

  • Disponibilizando-se como um espaço de disseminação de informações e debates sobre o tema.
  • Incluindo discussões sobre sexualidade e a sua valorização nos meios de comunicação.
  • Promovendo encontros de reflexão e atividades de integração entre pais, professores e alunos.
  • Promovendo com os alunos a noção de auto-cuidado e auto-proteção, no âmbito da educação para autonomia.
  • Usando dados estatísticos, histórias reais e notícias a fim de informar a todos sobre a melhor maneira de proteger as crianças e adolescentes contra o abuso on-line e a pornografia infantil na internet, bem como de evitar sua exposição a quaisquer conteúdos inapropriados.
  • Observando o comportamento dos alunos e alertando-os sobre os riscos da internet.
  • Denunciando crimes na internet por meio do site www.denuncie.org.br

(3) Crianças e adolescentes, naveguem protegidos!

  • Lembre-se de que o mundo virtual faz parte do mundo real, logo há perigos que não podem ser negligenciados.
  • Não divulgue dados pessoais.
  • Cuidado ao falar com estranhos, você não sabe quem está do outro lado.
  • Preserve sua privacidade! Converse apenas sobre assuntos públicos. Sua intimidade sexual só diz respeito a você.
  • Se alguém não o(a) deixou à vontade ou fez algo que o(a) incomodou, diga para parar. Fique atento e não tenha medo dizer NÃO, mesmo que seja para uma pessoa conhecida ou do seu convívio cotidiano.
  • Fique atento às políticas de privacidade dos sites.
  • Não aceite convites para encontrar alguém que conheceu na internet. Você não sabe a real identidade dessa pessoa e nem suas intenções. Se de fato quiser conhecê-la, converse primeiro com seus pais ou responsáveis para que o acompanhem.
  • Incentive seus pais e responsáveis a acompanhá-lo no acesso à internet. Você pode, inclusive, ensinar muito sobre a rede para eles.
  • Sempre que ver alguma coisa errada, denuncie por meio do site www.denuncie.org.br

Fontes: Cartilha Saferdicas SaferNet e a Navegar com Segurança.

http://www.childhood.org.br/

 

 

 

 

Serviço VOIP disponível novamente

O serviço fone@RNP paralisado por problemas técnico volta a funcionar novamente e com alguns recursos melhorados.

É possível agora utilizar o VOIP apartir de qualquer ramal fixo dentro da universidade ou por meio de um softphone chamado X-Lite (para download clique aqui). para utilizar o softphone é necessário um cadastro e para isso envie um email para voip@unifap.br. No campo assunto escreva fone@rnp e no corpo do email coloque seus dados:

- Nome completo;

- CPF;

- Email institucional;

- Sugestão para login;

- Sugestão de senha;

Em até 48 horas úteis você receberá uma confirmação do cadastro com seu número VOIP, em seguida basta configurar o software com o auxilio deste manual.

Para utilizar o serviço a partir de um ramal fixo da universidade basta ligar para o número 1805 e ouvir a mensagem, após o sinal digite 0 + ddd + número desejado. Mais informações sobre quais localidades são atendidas pelo serviço podem ser consultadas na página da RNP.