0

Capes aprova mestrado em propriedade intelectual e transferência de tecnologia para inovação na Unifap

A Universidade Federal do Amapá (Unifap) é a mais nova instituição de ensino superior (IES) a integrar a Rede Profnit, que oferta o Mestrado Profissional em Rede Nacional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação. A Universidade teve a proposta de adesão aprovada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes)  na terça-feira, 20 de fevereiro, e a previsão é que a seleção de alunos para a pós-graduação stricto sensu deve ocorrer ainda neste primeiro semestre.

O Profnit é um programa de pós-graduação, em nível de mestrado, em propriedade intelectual e transferência de tecnologia para a inovação dedicado ao aprimoramento da formação profissional para atuar nas competências dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) e nos ambientes promotores de inovação nos diversos setores da sociedade (acadêmico, empresarial, governamental, organizações sociais, etc). O Profnit é oferecido nacionalmente, compreendendo todas as regiões do Brasil e foi recomendado com nota 4 pela Capes.

Para o diretor do Departamento de Pós-graduação (DPg) da Unifap, Emerson Castilho, o mestrado será importante para atender as graduações da área de exatas da Universidade, que possui pouca opção de cursos de pós-graduação. “(…) E, para dentro e fora da Unifap, o mestrado formará nucleadores de inovação tecnológica: isso significa que os mestres formados estarão aptos a implementar núcleos de inovação tecnológica e, dessa forma, criar mecanismos de inovação e desenvolvimento tecnológico dentro do mercado de trabalho. Isso leva, a longo prazo, ao desenvolvimento científico e tecnológico do estado”, avalia.

A proposta de adesão à Rede Profnit foi elaborada juntamente com a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) e, com a aprovação pela Capes, as duas universidades se transformaram em Pontos Focais do mestrado. O Instituto Federal do Amapá (Ifap), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Amaapá (Sebrae-AP), o Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Iepa), a Fundação de Amparo à Pesquisa do Amapá (Fapeap), a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Setec), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-AP) e a Universidade do Estado do Amapá (Ueap), órgãos que possuem vinculação com o empreendedorismo, a pesquisa e a inovação no estado e parceiros institucionais da Unifap, participaram da recepção do comitê avaliador do Profnit, visita realizada em junho de 2017.

“A aprovação deste mestrado demonstra que a união das IES da região Norte e dos agentes inovadores locais, juntamente com um corpo docente e gestão comprometidos, gera importante resultado para o Amapá e para o Norte. Outra importante colabração foi da Rapi, a Rede Amazônica de Pesquisas Interdisciplinares, que reuniu suas instituições representativas para fortalecer as propostas da região Norte, possibilitando a aprovação de todas as IES candidatas à adesão”, observa Helena Simões, pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação da Unifap.

O mestrado profissional será vinculado ao Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas (Dcet) da Unifap, sob coordenação do Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia (Nitt) da Instituição, e o quadro docente será formado por professores doutores que realizam pesquisas e atuam no desenvolvimento da tecnologia e inovação no Amapá, em diferentes áreas do conhecimento.

Notícia retirada do site www.unifap.br

0

Reunião com o Conselho Departamental do Dcet

Aconteceu nesta sexta-feira, 09 de fevereiro de 2018, a primeira reunião do Conselho Departamental na nova gestão do departamento.

A reunião teve como pautas o calendário de reuniões do Conselho, a aprovação das Câmaras de Pesquisa, Ensino e Extensão, a atualização da Comissão de Infraestrutura do Dcet e da Comissão de Elaboração do Regimento do Conselho Departamental, e a apreciação do processo de mudança do curso de Química para o Dcet.

A indicação dos membros das Câmaras do Conselho já havia sido feita pelos colegiados dos cursos, e o Conselho Departamental fez a homologação dos nomes.

O Conselho também aprovou por unanimidade a inserção do curso de Licenciatura em Química no Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas.

Estiveram presentes 25 conselheiros, com representação de todas as categorias (docentes, técnicos e discentes), além de professores do colegiado do curso de Licenciatura em Química.