PROCESSO SELETIVO INDÍGENA (PSI)

O “Processo Seletivo Indígena/PSI” do Curso de Licenciatura Intercultural Indígena/CLII ocorre a mais de uma década, portanto, trata-se de uma experiência exitosa, que vem progressiva e necessariamente ajustando seu formato e editais com a finalidade de atender a realidade dos Povos Indígenas do Amapá e norte do Pará.

Os candidatos ao CLII são submetidos ao PSI, cuja primeira fase é uma prova de Redação em uma das línguas indígenas faladas no Amapá e norte do Pará, podendo ser realizada também em português, conforme escolha do candidato. As provas em língua indígena são corrigidas por indígenas, geralmente professores egressos do CLII. Essa forma de avaliação visa valorizar as línguas das populações indígenas locais. A segunda fase é composta pelas entrevistas que são realizadas em língua portuguesa, pois a Comissão do Processo Seletivo é composta basicamente pelos docentes do CLII.

Até o ano de 2020 o CLII tem ingresso anual de 30 estudantes pertencentes aos povos Galibi-Marworno, Galibi-Kalinã, Karipuna, Palikur, Waiana, Wajãpi, Apalai, Kaxuyana e Tiriyó, em contínuo e garantido fluxo de ingresso e egresso. A partir de 2020, a entrada de alunos ocorrerá a cada dois anos, passando de 30 para 80 vagas ofertadas, conforme prevê o novo Projeto Pedagógico de Curso (PPC).