0

Impactos da barragem“fio d’água” subestimados no Amapá

Um estudo feito por pesquisadores do Programa de Pós-graduação em Biodiversidade Tropical mostrou que os impactos ambientais das barragens do tipo “fiod’água” (barragens que geram energia com o fluxo de água do rio, ou seja, pela vazão com mínimo ou nenhum acúmulo do recurso hídrico) são subestimados [1]. Ofim de grandes hidrelétricas nos programas de desenvolvimento no Brasil foi aclamado como um sucesso para o desenvolvimento sustentável e para a conservação [2,3, 4]. Mas, os resultados de pesquisas ao longo de sete anos na bacia do Araguari mostraram que os impactos ambientais das substituições prováveis, isso é, impactos das barragens “fio d’água” são também subestimados [1].

Desde 2011, pesquisas desenvolvidas dentro do Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Tropical (PPGBIO) da Universidade Federal do Amapá estão monitorando tracajás (Podocnemis unifilis) ao longo de 147 km nos rios Araguari e Falsino. Os dados coletados pré (2011 e 2015) e pós (2016) preenchimento do reservatório da Usina Hidrelétrica Cachoeira Caldeirão servem para avaliar os impactos desse empreendimento.O equipe coordenado por Professores Dr. Darren Norris (darren.norris@unifap.br) e Dra. Fernanda Michalski (fmichalski@unifap.br) identificaram 106 sítios de nidificação de tracajás submersos após o preenchimento do reservatório. O sitio de nidificação submerso mais distante foi um sitio, localizado a 57,4 km da barragem e 20,2 km a montante do limite de impacto direto definido pelo estudo de avaliação de impacto ambiental.

O resultado detalhado da pesquisa encontra-se na publicação de 08 de janeiro de 2018, no periódico PeerJ ( https://peerj.com/articles/4228/ ).

FigDarren

[1] Norris D, Michalski F, Gibbs JP. (2018) Beyond harm’s reach? Submersion of river turtle nesting areas and implications for restoration actions after Amazon hydropower development.PeerJ 6:e4228 https://doi.org/10.7717/peerj.4228

[2] https://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/meio-ambiente/205653-lobby-ambiental-e-indigenista-faz-brasil-desistir-de-barragens-hidreletricas-na-amazonia.html?utm_source=parceiros&utm_medium=rss#.WlO3RDfQ_IU

[3] https://oglobo.globo.com/economia/fase-de-grandes-hidreletricas-chega-ao-fim-22245669

[4] https://news.mongabay.com/2018/01/brazil-announces-end-to-amazon-mega-dam-building-policy/

josetoledo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*