0

1º lugar e menção honrosa no III ECAP

O acadêmico Yuri Nascimento do Nascimento, orientado pela professora Dayse Maria da Cunha Sá, foi contemplado com o 1º lugar e menção honrosa pela apresentação oral do trabalho intitulado:  O conhecimento de alunos do ensino médio sobre a conservação do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque e sua biodiversidade, na área temática Educação, sociedade e meio ambiente
O III ECAP (Encontro de Ciências Ambientais do Amapá: Petróleo & Gás, Grãos, ZPE, Empreendedorismo e Infra-estrutura), ocorreu no período de 11 a 14 de novembro de 2014 no anfiteatro da UNIFAP.
A entrega da premiação foi realizada pelo professor do colegiado de Ciências Ambientais Arialdo Martins da Silveira Júnior.
0

Expedição Científico Tumucumaque Labinvert

EXPEDIÇÃO CIENTÍFICO/ACADÊMICA AO PARQUE NACIONAL MONTANHAS DO TUMUCUMAQUE – LABORATÓRIO DE ZOOLOGIA DE INVERTEBRADOS – LABINVERT.

            No período de 15 a 24 de outubro passado uma equipe de pesquisa do LABORATÓRIO DE ZOOLOGIA DE INVERTEBRADOS – LABINVERT – do Curso de Ciências Biológicas do Departamento de Biologia e Ciências da Saúde da UNIFAP, participou da Expedição ao Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, oportunidade na qual a equipe desenvolveu atividades relacionadas ao Programa de Monitoramento da Biodiversidade implantado pelo ICMBio em algumas Unidades de Conservação do país, entre elas o PNMT.

Durante a expedição a equipe composta pelas estagiárias: Glauciele Cristina Ferreira da Silva; Mara Jorry Vieira Leite e Suenny Sousa da Silva, todas alunas do Curso de Ciências Biológicas da UNIFAP, cursando o 6º período do Curso e o Professor Mestre Alexandre Souto Santiago; desenvolveram atividades relacionadas a 2 dos protocolos que serão abordados no Programa de Monitoramento da Biodiversidade, que foram o de monitoramento dos ambientes aquáticos e o de borboletas frugívoras.

A ida ao PNMT também servirá para aquisição de dados a serem usados no Projeto de Doutoramento do Professor Alexandre Santiago.

A equipe experimentou, no período vivido no PNMT, experiências únicas de conhecimento de ambientes de florestas muito próximas do estado natural de conservação, onde teve contato com exemplares da fauna e flora que ainda não tinha tido contato. Além da convivência com o restante da equipe da expedição, o que possibilitou a grande troca de experiências, vivências, valores, conceitos.

Para o ano de 2015 estão previstas mais expedições ao PNMT com o mesmo intuito, oportunidades que deverão ser aproveitadas pela comunidade acadêmica e que possibilitará o ganho de experiências único, além de significativamente prazeroso.

 

___________________________

Professor Alexandre Souto Santiago

0

A Escola vai à Universidade

Ensinar é um exercício de imortalidade. De alguma forma continuamos a viver naqueles cujos olhos aprenderam a ver o mundo pela magia da nossa palavra. O professor, assim, não morre jamais…Rubem Alves

Alunos do 3° ano primário da Escola Modelo Guanabara estiveram hoje (03/11) pela manhã em visita aos laboratórios de Ciências Biológicas da Unifap. O convite foi feito pelo aluno Edinei que está cursando a matéria Pratica de Ensino no referido estabelecimento.

Essa aproximação da universidade é muito importante para os dois níveis de conhecimento, começando assim, uma trilha de descobertas principalmente para os alunos que encheram seus olhos ao visualizarem os esqueletos de animais, répteis, peixes, e tipos de plantas, sementes, cogumelos, as perguntas apareciam com uma rapidez incrível.

25

O prof. MSc Eduardo Campos do Laboratório de Herpetologia, comentou a possibilidade de em breve ter na Unifap uma Jornada Portas Abertas, agregando todos os cursos para um público que vai do primário ao nível médio, assim os estudantes começam a trilhar o caminho da excelência que tanto sonhamos do Ensino Público até a Universidade.

Prof EduardoCampos e alunos da   Prof

A profa. Maria do Socorro da Escola Modelo Guanabara falou sobre esse momento na Unifap tão esperado pelos alunos “Infelizmente não temos um ônibus em nossa escola, pois isso facilitaria para que pudéssemos sempre levar os alunos em aulas práticas. Percebemos que os alunos interagem mais quando estão em contato com o que é estudado na sala de aula. Tudo isso hoje, é possível graças ao apoio dos pais em parceira com a equipe escolar que financiaram a mobilidade dos estudantes.”

O alunos e professores partiram com a certeza de que precisamos formar alunos para o mercado de trabalho com competências da teoria e pratica , do SABER e do FAZER.