0

POVO PALIKUR-ARUKWAYENE REALIZA A KAYKA ARAMTEM, NA TERRA INDÍGENA UAÇÁ/OIAPOQUE-AP

Durante a lua cheia dos dias 16 e 17 de novembro de 2016 o sábio Wet realizou a Kayka Aramtem, ritual conhecido entre os povos indígenas do Oiapoque como Turé e que, entre os Palikur-Arukwayene, não era realizado há mais de trinta anos. Este ritual é objeto de estudo do Projeto de Pesquisa “Kayka Aramtem: referências, significações e recriações do ritual do sábio Wet”, coordenado pela professora Elissandra Barros e que tem como colaboradores os professores Carina Santos de Almeida e Ramiro Esdras Carneiro Batista, ambos docentes do Curso de Licenciatura Intercultural Indígena (CLII); acadêmicos do CLII Josieldo Labontê Orlando e Jeremias Batista Labontê; além do pesquisador Adonias Guiome Ioiô, ex-aluno do CLII. O projeto é uma das ações desenvolvidas pelo Núcleo Kusuvwi de Estudos Palikur-Arukwayene (NUKEPA), também coordenado pela professora Elissandra Barros e que destina-se a formação de pesquisadores indígenas e a realização de pesquisas com e entre os Palikur-Arukwayene.

Foto 10 Preparativos para a Kayka

Preparativos para a Kayka

O protagonista e anfitrião da Kayka Aramtem foi o Ihamwi (xamã) Wet, uma das maiores referências acerca da história e cultura dos Palikur-Arukwayene. O ritual contou com a participação de muitos convidados, como as professoras da Licenciatura Intercultural Indígena, Claudiane de Menezes Ramos, indígena da etnia Baré; e Rosilene Cruz Araújo, da etnia Tuxá;  e também os parentes indígenas da Terra Indígena Parque do Tumucumaque, os Kaxuyana Manoel Mui Tihta, Reginaldo Sewo e Daniele Dani Kaxuyana, os Tiryó Nivaldo Tonka e Damaris Koepi com o filho Yumari; e os Apalai Amarikua, Jariuhto e Makuapoty, bem como os parentes indígenas da Terra Indígena Wajãpi, Turuku’a, Sare, Sakyry, Anori e Wyramapi.

O projeto é financiado pelo Museu do Índio (FUNAI-RJ) e visa documentar, desde os preparativos, toda a realização do ritual. O produto desta pesquisa consistirá em um documentário sobre a Kayka Aramtem dos Palikur-Arukwayene, em que será destacado os processos próprios de elaboração e reelaboração do ritual. Para a documentação, o Museu do Índio-RJ envio sua equipe de cinegrafistas que, junto com a Mídia Ninja-AP, foram os responsáveis por todos os registros do evento.

FOTO 1 Equipe do Projeto, Museu do Indio e Midia Ninja

Equipe do Projeto, Museu do Índio e Midia Ninja

Foto 11 Convidados se preparando para a Kayka

Convidados se preparando para a Kayka

Foto 4 Preparacao do Sabio Wet

Preparação do Sábio Wet

FOTO 2 Indígenas Palikur-Arukwayene tocando

Indígenas Palikur-Arukwayene tocando.

Foto 3 Visão do Mastro

Visão do Mastro.

Foto 9 Preparacao das pinturas corporais

Preparação das pinturas corporais.

Foto 6 - Maraca e o pássaro Wet

Maraca e o Pássaro Wet.

Foto 7 Imagens da  Kayka

Imagem de Kayka.

Foto 8 Jovem registra a cabeça do banco do Jacare

Jovem registra a cabeça do banco do Jacaré.

Foto 5 Equipe registrando os guerreiros Palikur-Arukwayene

Equipe registrando os guerreiros Palikur-Arukwayene.

Fotos: Gabriella Marques / Midia Ninja

Eraldo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*