Setembro Azul: história e os direitos das pessoas surdas

Setembro Azul: história e os direitos das pessoas surdas

A campanha ‘Setembro Azul’, abrange o Dia Mundial das Línguas de Sinais, em 10 de Setembro, o Dia Nacional da Pessoa Surda, em 26 de Setembro e o Dia Internacional da Pessoa Surda, em 30 de Setembro. 

A deficiência auditiva atinge cerca de 9,7 milhões de brasileiros, o que representa 5,1% da população. Desse total, 7,5 milhões apresentam algum problema auditivo, 1,7 milhão tem grande dificuldade para ouvir, 2 milhões possuem a deficiência auditiva severa, e 344,2 mil são surdos, conforme dados do IBGE.

Setembro é o mês escolhido para celebração das conquistas da comunidade surda e, principalmente, para conscientização sobre a importância da acessibilidade para esta parcela da população, que há muito tempo luta por reconhecimento e integração na sociedade. O mês concentra várias datas importantes para a comunidade surda, como o Dia Internacional da Língua de Sinais, comemorado no dia 23 de setembro e o Dia do Surdo, celebrado dia 26.

“A informação é a maior aliada para a conscientização da população com a comunidade surda. Foto/Imagem: Instituto Federal de Minas Gerais“. 

Como surgiu a cor azul para simbolizar a luta?

Afinal, até o século XV, surdos eram considerados ineducáveis, e na Segunda Guerra Mundial (1939-1945) surdos, bem como pessoas com deficiência, eram considerados inferiores pelos nazistas e obrigados a usar faixa azul no braço. Vem dessa parte triste da história a justificativa para a escolha da cor azul para setembro, que representa o orgulho da comunidade surda em paralelo à luta por inclusão efetiva. Foi no ano de 1999 que a identificação do laço azul ficou mais difundida a partir da cerimônia da Fita Azul (Blue Ribbon Ceremony). Na ocasião em si, foram relembrados os surdos vítimas da opressão, e o Dr. Paddy Ladd, famoso professor e pesquisador surdo, usou uma fita azul no braço pela primeira vez como símbolo do movimento. Hoje, a cor azul turquesa é usada, por ser uma cor viva e vibrante, que representa a riqueza cultural de uma comunidade surda.

Qual a importância da Libras no processo de socialização dos surdos?

A Língua Brasileira de Sinais foi reconhecida oficialmente no Brasil em 2002, e é o principal instrumento de comunicação dos surdos. Nos últimos anos, cresceu muito a procura pelo aprendizado da Libras também por quem é ouvinte. Isso é reflexo de uma sociedade mais inclusiva e da necessidade que temos de nos comunicar. 

Quais são os direitos das pessoas surdas?

A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (LBI), conhecida como Estatuto da Pessoa com Deficiência, é destinada a assegurar e a promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoas com deficiência, visando a sua inclusão social e cidadania. 

Além disso, o Decreto Federal n°5626 institui a LIBRAS como paradigma educacional da pessoa surda, universalmente reconhecida como imprescindível à evolução integral de seus construtos socioculturais. No que se refere à inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, conforme disposto na Lei Federal nº 8.213/91, também conhecida como Lei das Cotas, estabelece uma fatia de 2% a 5% das vagas de emprego ao grupo de PCD. 

Qual o nosso papel na campanha Setembro Azul? 

Quebrar as barreiras da acessibilidade exige que nós também façamos o esforço de superar os nossos próprios preconceitos e nos aproximemos mais da comunidade surda. Setembro pode até ser o mês dos surdos, mas a responsabilidade de fazer uma sociedade mais inclusiva todos os dias é de todo mundo, sendo uma pessoa surda ou não. 

Colaboração de texto: Izabele Pereira (Bolsista de Extensão do Escritório Modelo/Rádio e TV UNIFAP, 2021)


ATENÇÃO – As informações, as fotos, imagens e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seus conteúdos. Crédito para textos: Escritório Modelo/Rádio e TV UNIFAP, 2021.

 

 

 Acesse as Redes Sociais Oficias da TV e Rádio UNIFAP:  
·         Facebook: https://www.facebook.com/96.9fm 
·         Instagram: https://www.instagram.com/radiounifapoficial/
·         WebRádio: https://estacao.radio.br/radiounifap96/webapp/