0

CETIC.br lança publicações sobre o uso das tecnologias em domicílios, empresas e escolas

Evento reuniu especialistas e pesquisadores em São Paulo

O Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br) lançou os livros das pesquisas TIC Domicílios e Empresas 2012 e TIC Educação 2012. Os estudos mapeiam avanços e barreiras existentes para o uso de tecnologias da informação e da comunicação (TIC) nos domicílios, nas corporações e nas escolas públicas e privadas do Brasil. Além de apresentar os resultados dos estudos, os livros contam com artigos de renomados especialistas convidados.

A pesquisa TIC Domicílios pesquisou aproximadamente 17 mil residências e constatou que 40% possuem acesso à Internet. Já a TIC Empresas apurou o uso de computadores e da Internet em aproximadamente seis mil companhias com 10 ou mais pessoas ocupadas e revelou que 97% delas possuem o acesso à rede.

O levantamento da pesquisa TIC Educação foi realizado em 856 escolas públicas e privadas, selecionadas a partir do Censo Escolar do MEC/INEP 2011. Segundo o estudo, apenas 7% das escolas públicas possui computador instalado nas salas de aula, principal local do ensino-aprendizagem. Além disso, a velocidade de conexão à Internet se concentra na faixa de 1 a 2 Megabits por segundo, sendo esta uma das limitações mais citadas pelos educadores no uso das TIC com os alunos, uma vez que a baixa velocidade de conexão restringe as possibilidades de uso, como o acesso a aplicativos de vídeos, áudio entre outras atividades.

O evento de lançamento das publicações foi aberto pelo diretor-presidente do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), Demi Getschko. “O CETIC.br está alinhado aos padrões de pesquisa que permitem a comparabilidade internacional. Assim, as políticas públicas do Brasil são fortalecidas”, disse o diretor-presidente da entidade. O gerente do CETIC.br, Alexandre Barbosa, apresentou dados consolidados das pesquisas e ressaltou a importância das análises para a implementação e avaliação de programas governamentais. “As ações de inclusão de computadores e da Internet nas escolas brasileiras existem há mais de uma década. O uso nos domicílios está se expandindo, enquanto o setor empresarial tem acesso praticamente universal à Internet”, disse o porta-voz.

O evento contou com uma palestra sobre “As tecnologias de informação e comunicação para o desenvolvimento e inovação social”, ministrada pela Dra. Nancy Hafkin, pesquisadora norte-americana e ativista na promoção das TIC. Em sua conferência, Hafkin destacou os impactos sociais das novas tecnologias, enfocando as questões de gênero, objeto de sua pesquisa acadêmica. “As TIC podem empoderar as mulheres, resultando em maior igualdade de gênero. Mulheres sofrem de isolamento social e pouco acesso ao conhecimento. Isso é tido como uma atividade masculina”, afirmou Nancy Hafkin. Trabalhando pelo Women in Global Science & Technology (WISAT), a ativista apurou o uso de tecnologias colaborativas nas denúncias de violência no Quênia, durante as eleições de 2007.

Após a palestra, a Dra. Nancy Hafkin participou de um debate com a Dr.ª Regina de Assis, consultora em Mídia e Educação, e com o conselheiro do CGI.br, Carlos Alberto Afonso. O debate foi moderado por Guilherme Canela, assessor do Escritório Regional de Ciência da UNESCO para América Latina e Caribe. Os participantes discutiram as diferentes pesquisas do CETIC.br, além das oportunidades e desafios na democratização das tecnologias no Brasil. “As pesquisas servem para acompanhar de perto o crescimento da Internet no Brasil e são fundamentais para a tomada de decisões”, afirmou Carlos Afonso.

Para ter acesso aos dados das pesquisas na íntegra, acesse o site http://www.cetic.br.

Sobre o CETIC.br
O Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br) é responsável pela produção de indicadores e estatísticas sobre a disponibilidade e uso da Internet no Brasil, divulgando análises e informações periódicas sobre o desenvolvimento da rede no país. Mais informações em http://www.cetic.br/.

Fonte: Governo Eletrônico; Imprensa NIC.br – Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR

 

0

Comitê Gestor Da ICP-Brasil Acontecerá na Próxima Semana

O Instituto Nacional de Tecnologia da Informação – ITI sediará na próxima quarta-feira, 09, reunião do Comitê Gestor da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira CG ICP-Brasil. O Comitê, que acontecerá às 14h30, terá transmissão ao vivo pelo sítio do Instituto – www.iti.gov.br, e posteriormente terá seu conteúdo disponibilizado na íntegra no canal do ITI no Youtube.

Entre os temas em pauta estão a Autoridade Certificadora – AC do Ministério das Relações Exteriores – MRE, a proposta da resolução do Laboratório de Ensaios e Auditórias – LEA e a minuta de resolução que obriga as Autoridades Certificadoras – ACs e Autoridades de Registro – ARs a notificarem a autoridade policial em caso de tentativas de fraudes.

O passaporte eletrônico começou a ser emitido a partir de dezembro de 2010 pela Polícia Federal e pela Casa da Moeda, tem como principal característica um chip, dispositivo eletrônico de gravação de dados inserido em sua capa, e a assinatura com certificação digital ICP-Brasil.

Fonte: ITI

0

Presidenta Dilma apresenta novo Portal Brasil

Junto com a estreia de sua fan page no Facebook, o novo Portal Brasil pretende ser a porta de entrada da relação do cidadão com o governo federal

O Gabinete Digital é uma iniciativa online do Governo Federal para ampliar o acesso do cidadão à informação pública, serviços, prestação de contas e participação popular nas decisões. O Gabinete Digital vai coordenar a integração das redes sociais oficiais e simplificar os canais de acesso do cidadão ao governo. O eixo da ação é a percepção que o cidadão é um só e precisa, portanto, de um canal unificado de acesso ao governo. O Gabinete Digital irá agregar as informações dos ministérios e políticas públicas para auxiliar a tomada de decisões estratégicas do governo; alinhar a divulgação das políticas públicas nas redes sociais; aprimorar a comunicação do Governo com os servidores e aperfeiçoar os canais de interação com a população.

 

A primeira entrega do Gabinete Digital é a reformulação do Portal Brasil, em um trabalho conjunto com a Secom e o Ministério do Planejamento. Estreando uma página no Facebook, o novo Portal Brasil pretende ser a porta de entrada da relação do cidadão com o governo federal, reunindo num único local informação, serviço, prestação de contas e participação social.

Informação – O novo Portal Brasil será a principal fonte de informação pública na internet. Ele irá agregar, em tempo real, todas as notícias divulgadas pelas assessorias de comunicação dos ministérios. Contará, ainda, com conteúdos da TV NBR, com destaque para as transmissões ao vivo.

Serviços – Por meio do Portal Brasil, o cidadão terá acesso a 583 serviços públicos online, como emissão de um Darf ao pedido de passaporte, cálculo da Previdência e pedido de inscrição no FIES, dentre outros.

Transparência – O Portal Brasil também dará acesso ao Portal da Transparência (a página da Controladoria Geral da União, com dados detalhados sobre a execução orçamentária e financeira do governo federal) e ao Portal da Legislação (mantido pela Casa Civil, com um sistema atualizado diariamente de todas as leis e decretos em vigor no País).

Servidor – Reformulado, o novo Portal do Servidor será o principal canal de informação de interesse do servidor. Ele terá informações da carreira, dos concursos e notícias que ressaltem o papel dos servidores como protagonistas das politicas públicas.

Fale com a Presidenta – Por meio do Portal Brasil o cidadão poderá enviar uma pergunta, uma sugestão ou uma crítica que será respondida pela assessoria da Presidência da República.

Dados Abertos – O novo Portal oferecerá 2.900 sistemas de dados, livremente disponíveis para todos utilizarem e redistribuírem como desejarem, sem restrição de licenças, patentes ou mecanismos de controle.

Aplicativos – Estarão disponíveis no portal 30 aplicativos públicos para celulares e tablets.

Identidade visual – O novo Portal Brasil inaugura a nova identidade de comunicação digital do governo, a ser seguida no futuro por todos os órgãos públicos. Além de uma identidade unificada, o projeto assegura acessibilidade, para que pessoas com deficiência possam interagir com seus conteúdos, facilidade na navegação e responsividade, que permite a visualização do mesmo conteúdo em computadores, smartphones e tablets.

Em outubro, o Gabinete Digital irá ampliar os canais de diálogo online com a sociedade. O Portal Planalto (com notícias da Presidência da República) será reformulado, com versão interativa no Facebook. E será criado um canal de participação social, privilegiando o debate e a proposta das políticas públicas.

Veja a apresentação do novo Portal Brasil no Youtube

Fonte: Governo EletrônicoPortal Brasil

 

0

ITI participa do 1º Workshop de Inovações Tecnológicas da Área de Identificação – WITAID

O assessor da presidência do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação – ITI, Eduardo Lacerda, representou o Instituto, na última terça-feira, 24, durante 1º Workshop de Inovações Tecnológicas da Área de Identificação – WITAID. O evento, promovido pela Diretoria de Serviço Militar – DSM em parceria com a Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia em Identificação Digital – Abrid, aconteceu no Auditório do Departamento de Ciência e Tecnologia do Quartel Geral do Exército – QGEx, e teve por objetivo apresentar soluções existentes no em segurança da identificação e certificado digitais.

O assessor participou da primeira mesa do Workshop, “Cenário Atual da Identificação Digital no Brasil”, junto com o diretor-executivo da Abrid, Célio Ribeiro. Lacerda falou aos presentes sobre a segurança atribuída aos documentos eletrônicos que fazem uso da certificação digital no padrão da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira – ICP-Brasil. “Não é apenas uma questão de interoperabilidade, mas uma questão de segurança. Um documento com certificação digital ICP-Brasil dificilmente sofrerá uma fraude. O Exército brasileiro, passando a utilizar a carteira de identificação com certificação, será um exemplo para todo o País”, afirmou Lacerda.

Foi explicado ainda que a ICP-Brasil é uma plataforma totalmente nacional, gerida pelo Estado e que agrega segurança e confiança às transações eletrônicas. Para destacar a importância e as possibilidades de uso da certificação, Lacerda apresentou algumas das aplicações que fazem uso da ICP-Brasil, como a Nota Fiscal Eletrônica – NF-e, o Conectividade Social, o HomologNet e o Prontuário Eletrônico utilizado no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo – Icesp. “No Icesp, o uso de documentos eletrônicos levou a uma economia de R$ 5 milhões por ano”, salientou o assessor.

Por fim, Lacerda explicou a diferença entre o Certificado Digital e o Certificado de Atributos; o primeiro serve para assinar e identificar o indivíduo; o segundo, para autentificar e qualificar uma pessoa. Encerrando sua fala, o assessor afirmou a relevância do uso da certificação digital pelo Exército. “Certamente, com a certificação digital ICP-Brasil, será possível desburocratizar processos do Exército e diminuir o tempo gasto com protocolos, tudo isso com mais segurança e controle”.

Antes da apresentação do assessor da presidência do ITI, o tenente-coronel do Exército, André Gustavo, detalhou o projeto da Autoridade Certificadora de Defesa – AC-Defesa, que agregará o Ministério da Defesa e as três forças armadas brasileiras: Exército, Marinha e Aeronáutica. A previsão, de acordo com o tenente-coronel, é de que a AC-Defesa comece a operar em 2015, como AC de primeiro nível da ICP-Brasil. “A Estrutura da AC atenderá às três forças e nos trará a possibilidade de trocar informações de forma eletrônica com autenticidade, confiabilidade e integridade”, destacou Gustavo.

Fonte: ITI

 

0

Planejamento lança nova versão de portais de atendimento ao cidadão e servidores

Sítios foram reformulados com base no recém-lançado projeto de Identidade Digital do Governo Federal

O Ministério do Planejamento (MP) disponibilizou na noite desta segunda-feira, 23, as novas versões do ambiente Guia de Serviços, do Portal do Servidor e do Portal Dados Abertos. Os sítios foram reformulados com base no recém-lançado projeto de Identidade Digital do Governo Federal. O lançamento dos portais integra as primeiras ações do Gabinete Digital. Conheça as novas funcionalidades desses canais de comunicação que já estão disponíveis para a população brasileira:

Guia de Serviços – Facilitar o acesso dos cidadãos e de empresas a serviços como seguro-desemprego, imposto de renda, aposentadoria, certidão de antecedentes criminais, pagamentos de pensão e educação. Esta é a proposta do Guia de Serviços Públicos do Governo Federal, que foi renovado e conta com mais de 500 serviços e informações de utilidade pública. Emissão de certidões, agendamento de atendimento e consultas poderão ser acessados de forma rápida e simples.

Portal do Servidor – Coordenado pelo Ministério do Planejamento, o sítio foi adaptado à nova lógica de navegação dos sites governamentais. O objetivo é disponibilizar informações importantes aos servidores públicos, como sistemas, funcionalidades, notas de utilidade pública, notícias sobre ações e programas sociais.

Portal Dados Abertos – A proposta do sítio é simples: o dado governamental é público e deve estar disponível para quem precisa dele e irá utilizá-lo. Para tornar este acesso possível, o governo federal resolveu agrupá-los em um catálogo de dados único, o Portal de Dados Abertos. Dados das 1.500 agências da Previdência Social, do Sistema Nacional de Emprego (Sine) e das Unidades Básicas de Saúde (UBS) espalhadas pelo Brasil, por exemplo, estão disponíveis em formato aberto para a utilização por pesquisadores, universitários, empresários e pessoas ligadas à área de Tecnologia da Informação (TI). Os dados, desta maneira, podem ser cruzados com outras informações e beneficiar milhões de brasileiros.

Fonte: Governo Eletrônico; Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

 

0

3ª Campanha de Conscientização em Segurança na RNP

Após o DISI, setembro será totalmente dedicado a ações locais de conscientização nas instituições que aderiram ao Mês de Segurança. Na RNP, os colaboradores responderam a um quiz sobre os temas ligados às palestras do DISI e segurança em geral. Os três primeiros lugares ganharam um HD externo de 1 terabyte. Além disso, o analista do CAIS André Landim participou do batepapo de segurança sobre os casos mais comuns de cibercrime.

Fonte: Entrenós RNP

0

DISI alerta para os casos mais comuns de cibercrime

No dia 30/8, a RNP exerceu o seu papel de referência em segurança da informação na América Latina ao sediar o Dia Internacional de Segurança em Informática – DISI, que está em sua oitava edição. Este ano, o evento aconteceu após o Fórum RNP, em Brasília, e alertou sobre os casos mais comuns de cibercrime e como não passar de vítima a vilão na web.

Na abertura, o gerente assistente do Programa de Cibersecurity da Organização dos Estados Americanos (OEA), Brian Dito, afirmou que o Brasil é um importante parceiro na América Latina e exerce uma função de liderança na região. “O DISI tem duas funções importantes: ensinar as pessoas a tomar cuidado na internet, em meio à era digital, e estreitar a relação do Brasil com a comunidade latino-americana”, declarou o convidado internacional.

A gerente do CAIS, Liliana Solha, reforçou a importância da parceria com a OEA e a RedCLARA, firmada desde 2011, e afirmou que o foco do DISI é o usuário final. “O evento tem crescido e se tornado mais maduro. A cada ano, temos mais instituições celebrando este dia. Nosso interesse é que isso se expanda não apenas no Brasil, mas na América Latina”.

Lei Carolina Dieckmann

Após pontuar os principais eventos dos 21 anos de discussões sobre a regulamentação, o diretor executivo do Instituto Coaliza (@Coaliza) e cofundador do Kernel 40° Hacker Clube (@K40HC), Lincoln Werneck, afirmou que a Lei Carolina Dieckmann, que trata da invasão de dispositivos virtuais e entrou em vigor em abril de 2013, é um apanhado dos projetos de lei anteriores que foi aprovado sem maior diálogo com a comunidade de segurança da informação e a sociedade após a disseminação de dados da atriz. “A lei penal precisa ser muito clara. Além de ter muitas brechas e penas exímias, a mera invasão não configura crime. As medidas brasileiras são fracas ou inexistentes”, comentou.

Cartões de crédito

O gerente de Riscos e Segurança da Informação e membro do Latin American Advisory Board do (ISC)2, Willian Okuhara Caprino, apresentou práticas que podem proteger o usuário de fraudes em cartões de crédito: não fornecer o número inteiro do cartão em promoções, conferir constantemente a fatura, dialogar com o banco, denunciar páginas falsas e, no campo físico, nunca perder seu cartão. Atualmente, as vulnerabilidades em redes privadas de lojas e instituições, o malware e, principalmente, o phishing são os principais riscos de segurança.

Polícia Federal investe em ações de combate

De acordo com o perito criminal da Polícia Federal, lotado no Serviço de Repressão a Crimes Cibernéticos, Ivo Peixinho, alguns desafios do combate ao cibercrime no Brasil são a capacitação dos agentes policiais, a falta de legislação específica e a evolução constante das técnicas usadas pelos criminosos. Ele alertou que, nos últimos anos, tem crescido a incidência de crimes de alta tecnologia, ou seja, riscos de ataques a serviços judiciais eletrônicos, ao sistema de votação, ao envio de declarações de imposto de renda pela internet, serviços de telefonia e energia elétrica, sistemas e bases de dados corporativos, entre outros.

O valor dos dados pessoais na rede

“Todos têm um valor, um preço estipulado pelo cibercrime que vai ser usado para ganhar dinheiro de alguma forma”, afirmou Fábio Assolini, analista de malware do Kaspersky Lab, grupo internacional de segurança da informação que opera em mais de 100 países em todo o mundo. “Muitos usuários não imaginam quantas informações podem ser usadas maliciosamente. Sua conta de e-mail pessoal pode custar de R$ 10 a R$ 20, se for de empresa, de R$ 30 a R$ 50. Já uma conta no Facebook custa de R$ 30 a R$ 50”, alertou Fábio, que citou o passaporte, o documento de identidade e o CPF como um dos principais alvos do cibercrime.

Fonte: Entrenós RNP

0

Fórum RNP apresenta tecnologia 8K

Durante os três dias de evento do Fórum RNP, foram realizadas sessões contínuas de transmissão de TV 8K (super HiVision) entre Brasil e Japão. Além das demonstrações inéditas, a RNP e as empresas japonesas NHK, de TV pública, e NTT, de telecomunicações, promoveram uma sessão de diálogos sobre a tecnologia com resolução 16 vezes superior à Full HD.

Na trilha “SUPER Hi-VISION (8K) over IP networks: from Tokyo to Brasilia”, o diretor de Pesquisa e Desenvolvimento, Michael Stanton, expôs os principais termos da cooperação entre as empresas brasileira e japonesas. O pesquisador da NHK, Kazuhisa Iguchi, discorreu sobre o desenvolvimento da tecnologia Super Hi-Vision. No âmbito da transmissão, o pesquisador da NTT, Takahiro Yamaguchi, compartilhou os desafios da transmissão 8K através de redes IPs. Parte de um projeto de colaboração, as demonstrações públicas da tecnologia 8K tiveram boa repercussão na imprensa brasileira. A parceria entre a RNP e as empresas japonesas visa possibilitar transmissões ao vivo da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016.

Fonte: Entrenós RNP

0

Circuito de 100 Mb/s entre Manaus e Boa Vista é ativado

O circuito de 100 Mb/s entre Manaus e Boa Vista contratado à Oi para oferecer mais banda e redundância ao circuito terrestre de 40 Mb/s do PoP-RR foi ativado em agosto. “Agora temos a rota Brasília – Manaus – Boa Vista – Fortaleza, toda em fibra”, declarou o diretor de Engenharia e Operações, Eduardo Grizendi.

O PoP-RR, que era o último ponto de presença com conexão via enlace satelital, passou a ser atendido por um circuito terrestre de 40 Mb/s que o conecta ao PoP-CE.

Fonte: Entrenós RNP

0

Status das redes metropolitanas

O status da implantação das redes metropolitanas e outros projetos de interesse aos Pontos de Presença da RNP foram apresentados no Encontro Redecomep, realizados nos dias 27 e 28/8. Segundo o coordenador técnico das Redes Metropolitanas, Marco Montoro, atualmente são 28 redes em operação, contando com a do Rio de Janeiro, que está 90% concluída.

No encontro, foram discutidos novos modelos jurídicos para as redes, diante das dificuldades do atual, o consórcio. A consultora da RNP, Cláudia Santos, falou sobre as vantagens das fundações, dos condomínios e das associações, modelos mais cotados para a substituição da conformação vigente. Sobre essa questão, o diretor de Serviços e Soluções, José Luiz Ribeiro, declarou: “O que para nós é muito importante é a manutenção da estrutura de gestão. Nós somos corresponsáveis por essa rede porque precisamos atender às nossas instituições usuárias”.

Fonte: Entrenós RNP