PRÉDIO DO PPGBio TEM SUA ESTRUTURA DE DADOS AMPLIADA

PRÉDIO DO PPGBio TEM SUA ESTRUTURA DE DADOS AMPLIADA

(Leandra Rodrigues)

O Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI) ampliou a estrutura de dados no prédio do Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Tropical- PPGBio, que atualmente abriga 2 salas de aula, 1 laboratório de informática, sala da coordenação do curso e 1 sala para pesquisadores.

O NTI atuou nas etapas de Coleta de Requisitos, Elaboração de Projetos de Redes e Fiscalização dos Serviços, que foram executados por empresa contratada. O Analista de Tecnologia da Informação Richardson Salomão, Fiscal Técnico do Contrato, explica que o prédio do PPGBio possuía infraestrutura de redes, porém insuficiente para as demandas do curso. “No bloco já existia infraestrutura de dados, porém com poucos pontos de rede, necessitando ser ampliada e conectada em novo Ponto de Presença do NTI (POP-NTI), recém configurado no bloco L”, disse Richardson.

Para suprir as necessidades do curso de Pós-Graduação em Biodiversidade Tropical, foram disponibilizados 65 novos pontos cabeados e 3 pontos de acesso WI-FI EDUROAM.

Segundo o Vice-Coordenador do PPGBio, José Julio, a nova estrutura de dados vem proporcionar aos estudantes maior flexibilidade ao acesso à internet, além de acelerar procedimentos que demandam de uma boa internet. “Acreditamos que a nova estrutura venha proporcionar maior rapidez e agilizar o acesso à Internet, essencial para o funcionamento do PPGBio, considerando as tarefas administrativas, de ensino e de pesquisa. Com a nova estrutura em funcionamento, os estudantes terão acesso rápido à internet através de seus notebooks, o que facilitará a realização de pesquisas e utilização de ferramentas online”, disse José.

Para a aluna de Pós-Graduação, Edith Clemente, o acesso à internet será de suma importância para auxiliar em suas pesquisas e produções de artigos. “O acesso à internet nos possibilita ter uma produção mais ágil em nossas pesquisas, além de facilitar a procura por outros artigos e, principalmente, a flexibilidade nos dados para a minha pesquisa. Nossa comunicação também com os professores será melhor, pois na maioria das vezes nossa comunicação é feita por email”, afirmou Edith.