AULA DE CAMPO – ANTROPOLOGIA E EDUCAÇÃO

 

No dia 06 de setembro, acadêmicos das turmas 2019-2, 2018-2, reminiscentes da turma 2014-1, de Pedagogia, e, também, dois acadêmicos de Ciências Biológicas, do Campus Binacional, visitaram a Tenda São Benedito, localizada na comunidade quilombola – Terreiro de Candomblé do Pai Bené, em Oiapoque. A proposta da disciplina de Antropologia e Educação, ministrada pela professora Me. Doralice Veiga, teve por objetivo aproximar os acadêmicos da matriz Afro, pesquisada e sistematizada, em O Povo Brasileiro, por Darcy Ribeiro, conteúdo teórico ministrado e estudado em sala de aula.

Os discentes foram acolhidos pelo Pai Bené e demais membros da comunidade, com manifesta alegria. Foi realizada uma roda de conversa, entre acadêmicos e o Pai Bené, que discorreu sobre as raízes da Umbanda e do Candomblé, com propriedade. As perguntas traduziram a curiosidade dos discentes acerca das religiões afro. A conversa foi reigada de sabedoria. Pai Bene estava especialmente inspirado. Suas palavras refletiram acerca da escravidão, das amarras culturais preconceituosas e excludentes, existentes ainda hoje na sociedade brasileira, ignorantes aos aspectos históricos da formação antropológica.

Após a entrevista teve inicio o ritual em homenagem a São Sebastião, com cantoria, dança e muito batuque. Foi bonita a festa. Os depoimentos dos discentes relatam o choque cultural, não tanto como problema, mas, sobretudo, pela possibilidade de humanização e de aprendizagem. Que a experiência seja, sobretudo, propulsora de nova visão de mundo, livre de preconceitos e discriminações.

Agradecemos à comunidade quilombola a acolhida, as informações, e, sobretudo, o carinho.

Fechar Menu