0

Estudo mostra alteração na foz do Rio Araguari que levou ao fim da pororoca

Conexão entre o Rio Araguari e o Rio Amazonas através do recente Canal Urucurituba causa importantes mudanças na paisagem do Baixo Rio Araguari que afetaram a hidrodinâmica e a qualidade da água no trecho estuarino.

 Estudo conduzido por pesquisadores do Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Tropical – PPGBio mostrou que o aumento do Canal Urucurituba está provocando diversos impactos na região do Baixo Rio Araguari. Este fenômeno causou o fechamento da foz do Araguari para o Oceano Atlântico levando ao fim da famosa pororoca [1]. Outro impacto apontado no estudo foi modificação da hidrodinâmica local, com a redução de mais de 98% do fluxo que atingia o estuário, agora desviado pelo Canal Urucurituba para o Rio Amazonas. A qualidade da água também foi alterada no trecho a montante da nova conexão, com aumento da salinidade e sólidos suspensos que parece ter contribuído para o aumento do crescimento da vegetação na área da foz do Araguari.

O estudo é parte da tese do recém doutor egresso do PPGBio, Eldo Santos e seu orientador, Dr. Alan Cunha, ambos professores do Curso de Ciência Ambientais da UNIFAP, e é um resultado de forte integração com a graduação (com participação de três alunos do curso de Ciências Ambientais) e colaboração internacional com pesquisadores da Universidades de Miami (EUA) e de Ottawa (Canadá). O grupo de pesquisa teve o apoio financeiro do CNPq e FAPESP.

O trabalho foi publicado na revista Science of the Total Environment e está disponível desde dezembro de 2017: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S004896971733646X

Aumento do canal urucurituba

[1] Santos ES, Lopes PPP, Pereira HHS, Nascimento OO, Rennie CD, Sternberg LSLO´R & Cunha AC. (2018) The Impact of Channel Capture on Estuarine Hydro-Morphodynamics and Water Quality in the Amazon Delta. Science of the Total Environment 624:  887–899. https://doi.org/10.1016/j.scitotenv.2017.12.211

josetoledo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*