Projeto “O ensino de Ciências Humanas na escola indígena”

O ENSINO DE CIÊNCIAS HUMANAS NA ESCOLA INDÍGENA – SABERES E CONHECIMENTOS HISTÓRICOS E GEOGRÁFICOS ENTRE OS POVOS INDÍGENAS DO AMAPÁ E NORTE DO PARÁ

Registrado no DPq/UNIFA – n.º PVO1117-2020

Resumo: A Educação Escolar Indígena se consolidou nas aldeias nas últimas décadas, assim como entre os povos indígenas do Amapá e norte do Pará. Fruto das reivindicações dos povos indígenas, a escola indígena conquistou autonomia para promover pedagogicamente uma educação escolar condizente com os anseios societários e comunitários, adotando um calendário escolar próprio, definindo sua matriz curricular, conteúdos, competências e habilidades atinentes ao povo. O ensino de História e Geografia potencializa os saberes históricos e geográficos indígenas próprios em articulação com os contextos espaciais regional/nacional/internacional, em distintas temporalidades. Percebemos também que tais componentes curriculares contribuem para a revitalização da sociedade, recuperação de memórias e narrativas orais que por vezes possam estar silentes ou mesmo inaudíveis na própria comunidade. O ensino de História e Geografia, que preferimos considerar como ensino de Ciências Humanas em virtude de sua dinamicidade e articulação entre conhecimentos, possibilita perspectivar as vicissitudes experienciadas pelo povo na trajetória regional, de longa, média ou curta duração, contexto este que problematiza refletir sobre o processo colonialista e suas relações com a identidade, alteridade, no tempo e no espaço. A Licenciatura Intercultural Indígena da UNIFAP atende desde 2007 a formação superior de professores indígenas Apalai, Waiana, Katxuyana, Tiriyó, Galibi-Marworno, Galibi-Kalina, Karipuna, Palikur-Arukwayene e Wajãpi, dessa forma, o Curso se traduz em uma política pública bem sucedida e cada vez mais procurada pelas comunidades, uma vez que ela oportuniza uma formação pautada na discussão sobre os pressupostos teóricos e metodológicos da Educação Escolar Indígena, debate este que dificilmente é encontrado nos outros cursos de licenciatura da instituição por não ser o objeto da formação. A partir do terceiro e quarto semestres do Curso, os acadêmicos indígenas se direcionam para uma das três áreas de formação específica, quais sejam, Linguagens e Códigos, Ciências Exatas e da Natureza e Ciências Humanas. Este projeto de pesquisa irá, portanto, dedicar-se a estudar o ensino de Ciências Humanas nas escolas indígenas dos povos indígenas do Amapá e norte do Pará, a partir da sistematização e compreensão sobre os saberes e conhecimentos históricos e geográficos que integram suas escolas expressos nos documentos institucionais disponíveis. Entendemos que esses saberes e conhecimentos históricos e geográficos apesar de comporem as competências e habilidades dos componentes curriculares das escolas, grandemente identificados nas aulas de História e Geografia, pertencem a um conjunto complexo mais amplo e articulado ao “tempo” e ao “espaço” enquanto potência e sentido social comunitário. Ainda que a escola evoque novos saberes e conhecimentos nas aldeias, subsistem àqueles atinentes ao que convencionamos chamar de históricos e geográficos, compete a esta pesquisa promover esse levantamento documental com vistas a perceber se o ensino de História e Geografia em curso, que preferimos entender como Ciências Humanas, percorre os mesmos anseios comunitários e “devir” enquanto áreas da ciência na escola indígena.

Integrantes: Carina Santos de Almeida – coordenador / Solange Rodrigues da Silva – vice-coordenador / Mary Gonçalves da Fonseca – colaborador / Lilia Ramos Oliveira – discente / Leonia Ramos Oliveira – discente /Francinei Narciso Correia –  discente / Maiara Iaparrá Muré – discente / Elen Vidal de Figueiredo – discente / Sofonias Hipolito – discente / Orineio Monteiro Nunes – discente / Karapujãno Waiãpi – discente / Ilda Silva Pastana – discente / Celda Sfair dos Santos – discente / Nivaldo Tonka Tiriyo – discente / Jefre Ioio – discente.